Segunda-feira, 29 de Dezembro de 2008

Começa a cansar!...

 

 

 

Daqui a pouco já ninguém consegue ouvir  falar o tema avaliação de professores para cá ,avaliação de professores  para lá..

Sou professora e até a mim me cansa, e sou parte interessada neste processo. Cansa-me não é apenas o de lutar e estar atenta ao que me querem impingir a qualquer momento, pois até já recebi por email um formulário do Ministério da Educação  para traçar os meus objectivos para ser avaliada. O ministério tenta desesperadamente enganar os mais tontinhos, menos atentos,  menos críticos.

 Esquece-se que desencadeou um processo único de avaliação de professores, a nível europeu. Não há em qualquer país da Europa, e penso mesmo, a nível duma grande parte dos países do mundo inteiro. Não existe modelo de avaliação de professores similar ao nosso, (a não ser o Chile, claro..).

 Um dia destes  li o que escreveu a Dra. Fernanda Câncio sobre este tema e realmente deu para ver como a senhora é limitada e pequenina na análise que faz sobre os professores. 

Segundo ela,  temos mais é que aceitar e calar pois as leis é para se cumprirem, ainda para mais o governo que as concebeu tem maioria absoluta, sabe o que está a fazer, e nós devemos é obedecer. Também José Lelo eminente intelectual socialista, e grande sábio destas coisas da avaliação dos professores, é vê-lo a defender o partidinho..os amiguinhos do poder, quer ele lá saber se é justa ou não esta   avaliação dos professores. O senhor até já reparei, nos debates em que entra sobre o tema, que ele tem escassa capacidade de argumentação, sobre este tema, tal  é o desconhecimento, assim como a Dra. Fernanda Câncio, outros interesses e motivações certamente os farão mover, ao fim e ao cabo pagam-lhe para servir o partido e estarem do lado de Sócrates, independentemente deste estar certo ou errado no que tenta fazer.

 A mim pagam-me para desempenhar as minhas funções de docente. Sei que o faço dando tudo de mim, sem ter qualquer medo de ser avaliada. No entanto, jamais aceitarei sê-lo, numa base de desconfiança, em que o governo parte do princípio, que os professores são tão medíocres, que lhe confere apenas uma pequena parte das notas mais altas, Muito Bons e Excelentes. Abundam assim "resmas" de Bons, nota intermédia, que ao ser dada não faz bem nem mal, é igual a um Satisfaz, imaginem, pois não dá qualquer ponto para subir na carreira, e assim se vão poupando milhões e milhões de euros ao estado, fazendo assim  os professores de nota Bom o mesmo trabalho que os seus colegas de nota superior, só que não a terão, porque não chegam...não há...acabaram....porque eram pouquinhas. Então esta avaliação é premiar o mérito como é apregoado?

 Então  coloco uma  questão à Dra. Fernanda Câncio  que tão revoltada está com os professores, que  até afirma  que  estes não quererem  é ser avaliados:  E a senhora queria ser avaliada assim?  O mal da senhora é que não deve ser avaliada, muito menos assim.

 Então aconselho-a a uma maior sensatez nas palavras que profere.Fale do que perceba e não opine de forma tão cínica e vazia sobre um tema que não domina, isto em nada  a dignifica, penso.

Os professores sabem porque lutam, são gente inteligente, instruída, culta e crítica. Sabem porque não querem esta avaliação, a senhora sabê-lo-à também tal como o seu amigo de partido  o José Lelo.

 

 

 

publicado por luana às 20:43
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Segunda-feira, 10 de Novembro de 2008

Avaliação dos professores

 

 

 

Voltei, depois de alguns meses de afastamento. O afastamento deveu-se a tantos motivos, que nem vale a pena mencionar..

 Mas o que realmente mais peso teve, foi a falta de tempo.

Reapareço num momento de grandes tumultos nas escolas deste país

 Quero deixar aqui o  registo do meu desencanto por tudo o que se anda a viver nas escolas neste momento. 

 Questiono-me muito sobre tudo isto, e cada dia mais o tento fazer, abordando várias perspectivas de uma linha de  raciocínio lógico.

 Penso que a maioria das pessoas ainda não se apercebeu bem do que se está a passar nas escolas deste país.

 Ainda ontem, com mais uma manifestação de professores, a invadir Lisboa, pouca importância foi dada por parte da comunicação social, ao evento. Limitou, obviamente a fazer o registo, mas nem esteve para convidar ninguém da praça pública a opinar sobre a situação tirando a TV 4. Houve no meu entender uma desvalorização do acontecimento, que foi reforçado pelo discurso da ministra e hoje do 1º ministro.

 É grave tudo o que se está a passar nas escolas, e mais grave ainda o que se deixa passar para a opinião pública, que é o facto dos professores não quererem ser avaliados.

 Eu quero ser avaliada. NÃO QUERO ESTA AVALIAÇÃO!!!

Que credibilidade tem uma avaliação, em que cada escola faz o que quer à sua maneira...

 Então há de tudo um pouco. Vejamos..

 .Os avaliadores têm uma turma ou turmas iguais a qualquer outra pessoa (refiro-me ao 1º ciclo, que é o que conheço melhor). Além de terem que fazer todo o trabalho inerente a ela, desde a preparação de aulas, reparem que até muitas têm dois e mais anos de escolaridade na sala, o que equivale a colocar em pé doze áreas ou mais pois são anos específicos, ainda os que têm programas educativos. Mas ainda assim sendo, têm que fazer as mesmas reuniões que os colegas não avaliadores, claro preparar aulas entre outras coisa. Quando for avaliar os colegas, os seus alunos ficarão entregues a colegas que dão apoio a outros alunos com necessidades educativas. Ou seja, não há apoio para ninguém, que se lixe o apoio.. quem não os mandou nascer espertinhos e  iguais aos outros?..

Assim os titulares são no meu entender, uma casta de professores apurada por este ministério, para poupar milhões de euros. Não criam equipas de avaliação, e pagam-lhe o mesmo, pois são o dois em um.

 Então há colegas de música a avaliar colegas de inglês , de matemática a avaliar língua portuguesa....

 Bons..regulares fica tudo no mesmo saco.. Apenas quem tem Muito bom e Excelente tem pontos. Parece que a quota para atribuição destas notas, também  será relativamente pequena .. Então a senhora ministra pretende implementar  um  sistema educativo com todos os professores  do sistema  a  trabalhar a preço de saldo.  Também  ela ainda não explicou o que vai fazer com aqueles professores  que uma vez observados, mereçam igualmente Muito bom ou Excelente e não o podem  ter porque o saquinho esgotou-se.

 Fico por aqui..

Ainda acredito um pouco na justiça divina..

 

 

  

 

publicado por luana às 00:54
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Sábado, 15 de Março de 2008

Mudanças...

 

 

Todos os dias  que me levanto para começar mais um dia de trabalho, faço-o na expectativa que algo aconteça, que alguma notícia surja, vinda lá dos lados do País das Maravilhas. Um país que irradia  magia. Talvez porque habitam nele, uma casta especial de personagens fantásticas, que tudo fazem para que o país vá para a frente de vez.

As reformas sucedem-se em quase todos os sectores da vida pública, a uma velocidade estonteante, pois essas personagens estão numa corrida contra o tempo, e há que cumprir objectivos.

Tudo seria normal, se estas reformas acontecessem, enquadradas num estudo, e numa lógica que tivessem como objectivo essencial,  o de levar o país a poder estar equiparado aos seus congéneres europeus, em matéria de políticas sociais, de saúde educação entre outras. Que trouxessem um crescente de qualidade transversal a toda a sociedade portuguesa. Mas tal não se vislumbra.

O único objectivo destas reformas é de índole economicista.  Poupar..poupar...poupar.

Em matéria de educação, não pode estar pior. Só quem está dentro do seu labirinto, ou quem acompanha de forma séria o que se passa nesta área, consegue perceber o nível a que as coisas chegaram.

De tal forma é, que os debates sobre o assunto acontecem diariamente, convidando para o espaço público de opinião, a nata mais ilustre de comentadores. Todos dizem de alguma forma, coisas interessantes sobre o momento actual. Em relação à educação, as opiniões dividem-se, mas parece haver alguma unanimidade de opinião, quanto ao documento de avaliação criado pelo ministério, para avaliar professores. Todos o acham de uma enorme complexidade. A maior parte não se revê nele se supostamente, o tivesse como suporte de uma avaliação.

Só o ministério da Educação o acarinha da forma que faz, tentando demonstrar que o que está ali feito, é uma obra prima de alto rigor científico, prático e conciso, acessível em  termos práticos, e de interpretação obvia, capaz de transformar os professores de ontem, em professores modelo, diferenciados entre os seus pares, através deste instrumento avaliativo.

 Tudo isto acontece ao mesmo tempo que se sabe, que o que está ali não é para diferenciar os bons dos maus professores. É uma escada de dificuldades que a maioria dos bons professores  em tempo algum lá chegarão. Pois se as cotas acolhem um número tão reduzido de "professores de mérito", mesmo que haja outros que o mereçam, ficarão a aguardar, impávidos e serenamente, que um dia uma fada  chegue num dia de sol fantástico, vinda do país das maravilhas e transforme o universo de professores rascas (a maioria), em professores titulares, seres extraordinariamente maravilhosos, "sabedores e fazedores de um pouco quase de tudo" .Especiais também, por conseguirem ter o mérito de saberem ser bons  professores na sua turma, não a tempo inteiro, mas esse será um dos méritos, e conseguirem desenvolver paralelamente, todo um outro trabalho que se falássemos de rigor......exigiria o trabalho de uma quase equipa....

Mas falar mais de mudanças para quê?

Já estou a ficar confusa..

Afinal o que é que vai mudar na educação?..

Esta avaliação é mesmo para diferenciar os  bons e maus professores?

Não.

É a ministra que está preocupada  com as taxas de insucesso?

Não. Para isso não depositaria os alunos de ensino especial nas salas de aula sem terem técnicos para lhe valerem, e preocupar-se-ia com aqueles que têm dificuldades de aprendizagens, problemas emocionais...etc... Sabe que um só professor, não pode fazer um trabalho sério com mais que um ano de escolaridade, tendo ainda elementos na sala a precisarem de atenção redobrada, trabalho específico e individual..

 Os mais entendidos nestas coisas, sabem que todo este turbilhão de mudança,  em nome da diferenciação do trabalho  docente, foi apenas criado com o intuito de economizar milhões e milhões de euros, e não em nome do rigor e da qualidade.

No entanto ainda vou  conseguindo  sonhar... e penso na possibilidade que tenho, de ver um dia,  o meu trabalho  avaliado e reconhecido quiçá , por alguém  que use o rigor e faça um trabalho sério com os professores e com a Educação.

 Ansiosa..mas confiante, que um dia o momento chegue..

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

publicado por luana às 22:51
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

.mais sobre mim

.posts recentes

. Começa a cansar!...

. Avaliação dos professore...

. Mudanças...

.links

.pesquisar

 

.favorito

. Memórias de Infância

. Comsentimentos

.arquivos

. Outubro 2009

. Maio 2009

. Fevereiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Maio 2008

. Março 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

blogs SAPO

.subscrever feeds